Cirilo de Tarso lidera isolado corrida eleitoral em Colatina

Cirilo de Tarso lidera isolado corrida eleitoral em Colatina
Cirilo de Tarso, candidato do PSD à prefeitura de Colatina, noroeste do Estado, aparece na liderança isolada na corrida eleitoral no município. É o que apontou a pesquisa Brand/Século Diário. No levantamento espontâneo – que a manifestação não induzida do eleitor, refletindo o sentimento da rua – Tarso aparece com 9,4%.  A pesquisa ouviu 403 eleitores de Colatina entre os dias 21 e 23 de julho último.
Quatro candidatos aparecem empatados tecnicamente na segunda colocação. São eles, o vereador Sérgio Meneguelli (PMDB), com 3,7%; o empresário do ramo de educação Luciano Merlo (SD), com 3,2 e o ex-secretário estadual de Saúde Tadeu Marino (PSB), com 3%. O vereador Renzo Vasconcelos (PPS) aparece com 2,7, o ex-deputado federal Paulo Foletto, que não é candidato, tem 2,2%. O ex-prefeito Guerino Balestrassi (PSDB), tem 1,7%. Já o deputado estadual Da Vitória, que também não está na disputa, soma 1%. O ex-deputado estadual Genivaldo Lievore (PT) tem 0,7% e o empresário Sebastião Demuner (PTB) vem em último com 0,2% das intenções de voto. Ninguém/brancos e nulos somam 11,9% e indecisos são 57,1%.
Para o diretor do Instituto Brand e consultor político e de gestão pública, Lucas Margotto, a indefinição sobre os nomes no cenário eleitoral é o motivo do alto índice de indecisos. “Os cenários eleitorais testados pela pesquisa em Colatina mostram que, mesmo com vários pré-candidatos sendo cogitados, mas com alguns deles sem confirmar se vão participar da disputa (casos de Balestrassi, Renzo e Meneguelli), parecem ter levado amaioria dos eleitores a uma expressiva indefinição do voto, cravando 57% de indecisos. Muito provavelmente, à medida que as articulações políticas avancem e os candidatos se confirmem, esse quadro deve oscilar”, analisa Margotto.
No período da pesquisa, os nomes de Sérgio Meneguelli e Renzo Vasconcelos ainda não haviam sido confirmados pelos seus partidos. O ex-prefeito Guerino Balestrassi ainda era cotado para a disputa pelo PSDB, que definiu no último dia 26, a pré-candidatura de Dr. Murad como o nome tucano na disputa.

Estimulada
Na menção estimulada, quando os nomes dos pré-candidatos são oferecidos ao entrevistado, Cirilo de Tarso lidera nos cinco cenários sugeridos aos eleitores. No período da pesquisa, o ex-prefeito Guerino Balestrassi (PSDB) ainda era cotado para a disputa.
O candidato que aparece mais próximo do primeiro colocado é o vereador do PMDB Sérgio Meneguelli, que surge nos três cenários em que foi apresentado aos entrevistados com 11,9%, 20,1% e  19,6%, respectivamente. Sem ele na disputa, o ex-secretário de Saúde do Estado Tadeu Marino é quem assume a colocação com 15,4% e 16,4%, respectivamente.
“Na intenção de votos fica aparente, neste momento, um ligeiro favoritismo para o radialista Cirilo de Tarso, tendo o vereador Sérgio Meneguelli um pouco atrás, com uma diferença que flutuou entre 12 e 14 pontos percentuais entre eles. Sem Meneguelli na disputa, o cenário fica bastante favorável para Cirilo. Ambos parecem representar um desejo de renovação na política local, embora os pré-candidatos Luciano Merlo e Tadeu Marino possam ganhar musculatura com o início da campanha eleitoral, a partir de 15 de agosto”, explica Margotto.
Rejeição
A pesquisa Band/Seculo apontou como detentor da maior rejeição do eleitorado, o ex-prefeito Guerino Balestrassi, com 25,6%, quase empatado com ele vem o ex-deputado estadual Genivaldo Lievore, com 24,3%. Os vereadores Renzo Vasconcelos e Sérgio Menguelli aparecem, respectivamente, com 18,4%  e 15,9%. Tadeu Marino tem 8,40%, Sebastião Demuner 7,7%, Cirilo de Tarso 6,5% e Luciano Merlo, 5,7.
Para Margotto, a rejeição de Balestrassi e Lievore estão ligadas à atual gestão nomunicípio. Isso porque, o prefeito Leonardo Deptulski, que é do PT, mesmo partido de Lievore foi eleito em 2008 com o apoio de Balestrassi, então prefeito. Daí a responsabilidade compartilhada entre o petista por afinidade partidária e o antecessor que o apoiou. “O ex-prefeito Guerino Balestrassi aparece como o mais rejeitado, muito provavelmente por ter sido fiador da administração petista de Deptulski, que carrega alto índice de reprovação. O segundo mais rejeitado, Genivaldo Lievore, mesmo tendo sido eleito anteriormente para vários mandatos parlamentares, parece sofrer com o desgaste de seu partido, o PT”, afirmou.
É importante destacar que o entrevistado pode apontar mais que um pré-candidato.  A ponderação estatística considerou o número de respostas (múltiplas) sobre a quantidade de entrevistas (403).
A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob nº ES-08293/2016. A pesquisa ouviu 403 eleitores de Colatina entre os dias 21 e 23 de julho. A margem de erro máxima estimada é de 4,9 pontos percentuais, para mais ou para menos, em um nível de confiança de 95%. A responsabilidade técnica pela amostra é da estatística Miriam Ignácio de Almeida.
Cirilo 55